EM REPERT”RIO

25/02/2018 14:56

N„o tive tempo para ter medo

Inspirado na obra poética e política de Carlos Marighella

Ter a oportunidade de poder transformar Carlos Marighella em dança, tem uma dimensão muito significativa e simbólica para a Cia. Carne Agonizante, pois reafirma mais uma vez o ativismo artístico e político do grupo na dança brasileira.

Seu modo de produzir tem a intenção de apontar e escancarar questões políticas e sociais, que habitam em uma sociedade cada vez mais seduzida pelo capitalismo, pelos encantos do fascismo, pelo consumo banal, entretenimento midiático e instantâneo.

Em prol de uma revolução popular contra as elites e os donos do capital que pudesse libertar e transformar o indivíduo em agente de seu próprio destino, Marighella desafiou o poder doutrinador e opressor do Estado.

Ao propor a quebra de um paradigma ainda escravocrata e perverso mantido pela Casa Grande, construído para preservar as desigualdades sociais em um país dividido em castas, o “mulato baiano” como se autodefinia, tornou-se o inimigo número um da ditadura militar brasileira, sendo caçado e assassinado pelo DOI-CODI, numa emboscada em 4 de novembro de 1969 na capital paulista.

A pesquisa e criação se dedicaram ao espírito indomável, incorruptível, poético e humano de Marighella, também trazendo para a cena a brilhante energia libertária e sensível de Clara Charf, amante e companheira de luta até o final da vida do guerrilheiro. 

Ao apresentar NÃO TIVE TEMPO PARA TER MEDO, a Cia. Carne Agonizante assume uma vez mais o compromisso de criar, através da dança, um modo de perceber, refletir e encarar o mundo.

Um herói precisa sangrar e morrer para que seus ideais permaneçam.



Criação contemplada pela 21ª edição do Programa de Fomento à Dança para a cidade de São Paulo.
Remontagem contemplada pela 26ª edição do Programa de Fomento à Dança para a cidade de São Paulo


Ficha Técnica
Intérpretes: Rafael Carrion ou Alex Merino e Renata Aspesi
Concepção, Coreografia, Direção e Luz: Sandro Borelli
Assistência Coreográfica: Rafael Carrion
Trilha Sonora: Gustavo Domingues
Figurino: Grupo
Arte Gráfica: Gustavo Domingues
Fotografia: Lucas Mello
Preparação Corporal: Vanessa Macedo, Sandro Borelli e Mário Nascimento
Direção de Produção: Júnior Cecon
Agradecimentos: A José Wilson de Paiva Macedo e a Clara Macedo Borelli por tocar A Internacional Comunista no piano.


Newsletter - Cadastre-se para receber as novidades da Cia Carne Agonizante em seu email

Crie seu novo site Go7
versÔŅĹo Normal VersÔŅĹo Normal Painel Administrativo Painel Administrativo