EM REPERTÓRIO

28/02/2020 10:22

Konstituição, ré em 2ª instância

Inspirado no discurso de Ulisses Guimarães (presidente da Assembleia Nacional Constituinte) na promulgação oficial da Carta Magna brasileira em 1988, a construção coreográfica se apoia em elementos contidos na oratória do parlamentar para desenvolver uma ação corporal cênica que possa exalar as contradições e utopias contidas no documento quando aplicado na realidade política e social da nação. A criação propõe ações corporais de violência entre os intérpretes para ressaltar as nossas mazelas sociais e na congênita personalidade sádica do indivíduo comum. Além disso, se sustenta na crítica a um Estado, domesticador por essência, e na hipocrisia genética do indivíduo, sempre ávido em acariciar seu próprio inimigo.

Como bovinos rumo ao abate civilizatório.

O novo espetáculo da Cia. Carne Agonizante nada mais é do que uma espécie de poesia corporal árida de guerra contra essa realidade kafkiana e brutal no país.

“Termino com as palavras com que comecei esta fala. A Nação quer mudar. A Nação deve mudar. A Nação vai mudar. A Constituição pretende ser a voz, a letra, a vontade política da sociedade rumo à mudança. Que a promulgação seja o nosso grito. Mudar para vencer. Muda Brasil."

(Ulisses Guimarães – 1988)


Ficha Técnica
Concepção, Coreografia, Direção, Luz: Sandro Borelli
Intérpretes: Alex Merino, Camila Bosso, Guma Muliterno, Pietro Morgado, Patrícia Pina, Rafael Carrion, Renata Aspesi, Sabrina Ferreira e Yorrana Soares
Assistência Coreográfica: Rafael Carrion
Trilha Sonora: Gustavo Domingues
Luz: Sandro Borelli
Figurino e cenário: Grupo
Arte Gráfica: Gustavo Domingues
Fotografia: Júnior Cecon
Preparação Corporal: Sandro Borelli, Vanessa Macedo e Mário Nascimento
Direção de Produção: Júnior Cecon


Newsletter - Cadastre-se para receber as novidades da Cia Carne Agonizante em seu email

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo